segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Vázquez, de centro-esquerda, volta à Presidência uruguaia

Candidato, que governou país de 2005 a 2010, foi vitorioso no segundo turno


Ele substituirá o atual presidente, Mujica, e deve anunciar medidas sociais e de combate à sensação de insegurança

SYLVIA COLOMBO ENVIADA ESPECIAL A MONTEVIDÉU 

  O candidato governista Tabaré Vázquez, 74, venceu o segundo turno das eleição uruguaia. Com 49% de urnas apuradas, ele tinha 52% dos votos, contra 42% do adversário, Luis Lacalle Pou. Enquete de boca de urna dava 53% a Vázquez e 41% a Pou.
Vázquez, de centro-esquerda, anunciou, ao votar no clube Arbolito, no bairro de La Teja, que lançará pacote de medidas logo após assumir, em março do ano que vem.
O foco estará na ampliação de planos sociais e medidas de segurança (o aumento da violência é apontado como principal problema do país).
Em discurso à noite, Vázquez disse: "O Uruguai de hoje não é o mesmo de 2005, nem o de 2010. Há novas demandas e novos desafios. Não podemos perseguir quimeras, temos que perseguir os objetivos alcançáveis."
Presidente de 2005 a 2010, ele anunciará seu gabinete na próxima semana e disse que chamará pessoas ligadas à oposição para alguns dos cargos, em gesto que chamou de "grande encontro nacional".
Alguns nomes da sua primeira administração devem voltar. Além do atual vice-presidente, Danilo Astori, que ocupará o ministério da Economia (leia ao lado), outro ex-ocupante da pasta, Álvaro García, deve ser secretário de Planejamento.
As ex-ministras da Saúde, María Julia Muñoz, e de Desenvolvimento Social, Marina Arismendi, seriam recolocadas em outros postos.
O atual presidente, José "Pepe" Mujica, que desta vez não foi votar a bordo de seu Fusca 1987, ocupará uma vaga no Senado.
Na quinta-feira, pesquisa Factum divulgou que Mujica pode deixar o cargo com 65% de aprovação. Em 2010, Tabaré saiu do posto com 70%.
Em Montevidéu, a forte tempestade iniciada na madrugada atrasou o início da votação em alguns bairros.
Lacalle Pou, candidato do Partido Nacional (conhecido como "blanco"), votou pela manhã e disse estar de acordo com o gesto conciliador de Vázquez com a oposição.
Agradeceu o apoio do Partido Colorado, principalmente do ex-candidato Pedro Bordaberry, que obteve 13% dos votos no primeiro turno, e do ex-presidente Julio Maria Sanguinetti.
Após a divulgação dos primeiros números, Lacalle Pou disse que seu partido será atuante na oposição "já a partir de amanhã", mas desejou sorte ao presidente eleito.
LEI DE MÍDIA
Na semana que vem, o Senado debaterá pela primeira vez uma nova lei de mídia proposta pela Frente Ampla.
A ideia é definir a produção mínima de conteúdo nacional e criar um órgão regulador. Oposição e principais veículos de comunicação independentes são contra.
Mujica diz que não se trata de "mordaça". "Não pensamos em regular conteúdos nem em nos meter na linha editorial dos meios".
A Frente Ampla também apresentará projeto de mudança na lei eleitoral. Em casos de diferença de mais de 10% entre os dois primeiros colocados num primeiro turno, não haveria o segundo.
No dia 26 de outubro, Vázquez obteve 47%, ante 30% de Lacalle Pou. 

Nenhum comentário: