domingo, 25 de novembro de 2012

Documentos detalham ação no Riocentro


DE SÃO PAULO

O arquivo pessoal de Júlio Miguel Molinas Dias, coronel que chefiou um dos órgãos de repressão da ditadura no Rio, que será entregue à Comissão da Verdade do Rio Grande do Sul, revela como os militares tentaram maquiar o cenário do atentado do Riocentro, em 1981.
O objetivo era criar um cenário no qual as explosões teriam sido uma iniciativa de guerrilheiros de grupos de esquerda -e não ação dos próprios militares. A informação é do jornal "Zero Hora".
No episódio, uma bomba explodiu acidentalmente em um veículo que levava dois militares em um show comemorativo do 1º de Maio. A explosão matou o sargento Guilherme Pereira do Rosário e feriu o capitão Wilson Luiz Chaves Machado.

Nenhum comentário: