quarta-feira, 4 de julho de 2012

Argentina vive sob desconfiança de um novo caos



DE BRASÍLIA


Acostumada a crises ocorridas a cada dez anos -foi assim dos anos 70 até a hecatombe de 2001- a Argentina vive sob a desconfiança de um novo caos econômico.
Os sinais, segundo opositores do governo Cristina Kirchner, são muitos: deficit energético, fuga de capitais, inflação alta, baixas reservas internacionais e a desconfiança do mercado internacional, que resulta em poucos investimentos externos.
Mas, para governistas, o "modelo kirchnerista" permitiu ao país voltar a crescer e tirou parte da população da pobreza.
O principal problema argentino, afirmam analistas ouvidos pela Folha, não é econômico, mas sim político. Um exemplo são as recentes medidas de controle do dólar. Além de desagradar à população, a decisão gerou insegurança no mercado.
"O governo toma medidas como se a situação fosse pior do que realmente é", diz o economista Jorge Rodríguez Aparício, presidente da Câmara de Comércio Brasil-Argentina.

Nenhum comentário: