sábado, 9 de junho de 2012

Especialista em Weber, reforçou a identidade cristã do brasileiro


Análise

LUIZ FELIPE PONDÉ
COLUNISTA DA FOLHA


Antônio Flavio Pierucci foi um ícone dos estudos científicos da religião entre nós.
Estudos esses que ainda carecem de tradição num país que costuma confundir o mundo do "sagrado" com o mundo secular.
Nos seus termos, "sociólogos da religião sem coração" é o que nos falta. Com sua morte ontem, esta falta será ainda maior.
Pierucci era um grande especialista, dentre outros feitos, no crescimento do cristianismo pentecostal brasileiro e na obra do sociólogo Max Weber (1864-1920).
NAÇÃO CRISTÃ
Entre suas inúmeras contribuições, podemos apontar sua análise do crescimento estatístico do pentecostalismo brasileiro, visto pelo sociólogo como "mais do mesmo", na medida em que reforça a identidade cristã do Brasil, ao contrário daqueles que gostam de dizer que somos uma nação de diversidade religiosa.
Mas, se por um lado, permanecemos cristãos como sociedade, no âmbito das denominações cristãs e suas "competências de gestão", este crescimento era visto pelo sociólogo como indicativo da maior competência do clero pentecostal na gestão do mercado da fé cristã do que seu concorrente católico.
Para Pierucci, este fato impunha uma demanda mercadológica à Igreja Católica, antes acostumada à ineficiência pré-capitalista.
MAGIA E RELIGIÃO
No campo de seus estudos weberianos acerca da "desmagificação", mais conhecida como "desencantamento", Pierucci aprofundou o entendimento das diferenças entre as ideias de magia e de religião, que para ele não eram a mesma coisa.
A primeira seria concreta, pragmática e amoral, a segunda, abstrata, metafísica e moralista.

Nenhum comentário: