terça-feira, 26 de junho de 2012

"C'est la vie"


Carlos Heitor Cony

RIO DE JANEIRO - "Política é a arte de engolir sapos." A frase pode ser alterada, trocando-se a palavra "arte" por outra: "necessidade".
E não se aplica apenas aos profissionais que se dedicam e, em alguns casos, se beneficiam com a obrigação de comer batráquios, mas àqueles que torcem e chegam a se entusiasmar com os artistas ou com os necessitados de se alimentar com um produto que ainda não faz parte da cesta básica.
A foto de Lula na casa de Maluf, a cordialidade do encontro de dois sobas da nossa vida pública e o acordo para eleger o novo prefeito de São Paulo fizeram clamar até "os paralelepípedos da rua Lins de Vasconcelos" -essa imagem era usada pelo Nelson Rodrigues.
Mas o estupor de tanta gente não foi inédito. Lembro outra foto que causou indignação geral. Preso durante anos por Getúlio Vargas, o líder comunista Luís Carlos Prestes, logo que saiu de uma longa prisão, compareceu e foi fotografado ao lado do ditador num comício, aqui no Rio. Durante a Segunda Guerra Mundial, os democratas Roosevelt e Churchill saíram numa foto ao lado do ditador Stálin, todos num mesmo barco e com a mesma cordialidade.
Três notórios adversários -JK, Jango e Carlos Lacerda-, ao se aliarem numa frente ampla contra o regime militar, se abraçaram em Lisboa e em Montevidéu, esquecendo os insultos e até mesmo as infâmias que trocaram entre si.
"C'est la vie" -explicou uma prostituta francesa ao freguês que lhe perguntara por que exercia a profissão mais antiga do mundo.
Embora pessimista integral, ainda espero que os dois mais antigos adversários do mundo -Deus e Satanás-, depois de séculos em que danaram tantas almas, se reconciliem e tirem uma foto se abraçando, numa capa em quatro cores da revista "Caras".

Nenhum comentário: