quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Cristina Kirchner é diagnosticada com câncer na tireoide e será operada dia 4


Afastamento. Segundo o porta-voz Alfredo Scoccimarro, o carcinoma foi detectado durante exame de rotina e não há sinais de metástase, mas presidente argentina ficará em licença médica por 20 dias: o vice-presidente, Amado Boudou, assume o cargo

A presidente argentina, Cristina Kirchner, será submetida a uma cirurgia no dia 4 para a retirada de um tumor cancerígeno na tireoide, anunciou ontem à noite o porta-voz presidencial, Alfredo Scoccimarro, acrescentando que não foi detectada nenhuma metástase.

Segundo Scoccimarro, o carcinoma papilar no lóbulo direito da glândula tireoide foi detectado durante exames de rotina. Ele destacou, no entanto, que não há nenhum comprometimento linfático.

A presidente será submetida à cirurgia no Hospital Austral del Pilar, na Grande Buenos Aires, e ficará internada por pelo menos três dias. A partir da alta hospitalar, Cristina ficará por licença médica por 20 dias para sua total recuperação, disse o porta-voz.

Segundo ele, durante a ausência de Cristina, a chefia de Estado estará nas mãos do vice-presidente Amado Boudou, de acordo com a Constituição.

O carcinoma papilar é o mais comum tipo de câncer de tireoide e normalmente afeta pessoas com menos de 40 anos, especialmente mulheres. O tratamento geralmente é feito com a remoção cirúrgica do carcinoma e a ingestão de cápsulas com iodo radioativo que destrói as células remanescentes. Depois, os pacientes têm de tomar pelo resto de suas vidas um remédio para repor o hormônio que era produzido pela glândula.

Scoccimarro disse que a cirurgia estará a cargo do doutor Pedro Saco, chefe do Departamento de Cirurgia do Hospital Austral del Pilar e chefe do serviço de cabeça e pescoço do Instituto de Oncologia Doutor Angel Roffo.

Cristina, de 58 anos, foi reeleita em outubro, com 54,11% dos votos, um ano depois da morte do marido e antecessor, Néstor Kirchner, de ataque cardíaco aos 60 anos. Ela tomou posse para um novo mandato de quatro anos no dia 10.

Desmaios de Cristina. Em janeiro de 2009 a presidente Cristina Kirchner passou mal e cancelou todas as suas atividades durante cinco dias. Na época o governo argumentou que ela havia sofrido uma "lipotimia" (pré-desmaio), causada por "desidratação". Mas as explicações oficiais não convenceram. No dia da lipotimia de Cristina o jornalista, médico e escritor Nelson Castro recordou que em 1974, quando o presidente Juan Domingo Perón estava doente, a ponto de morrer, o governo afirmava que ele tinha "apenas uma gripe".

Outros presidentes argentinos tiveram problemas de saúde. Em 1993, o então presidente Carlos Menem (1989-99) foi internado às pressas. Nos primeiros minutos o governo sustentou que não passava de uma "gripe". Mas, na realidade, ele estava sendo operado da carótida. Em 2001, foi a vez do presidente Fernando De la Rúa. A obstrução na carótida do presidente ocorreu em meio a grave crise econômica.

Outros casos. Este é o quinto caso de câncer entre líderes da América Latina. A mesma doença já acometeu os presidentes Hugo Chávez, da Venezuela, e Fernando Lugo, do Paraguai, além do ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, quando ainda não tinha sido eleita chefe de Estado (mais informações nesta página).

Nenhum comentário: