terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Bilionário anuncia que enfrentará Putin na eleição presidencial da Rússia

Mikhail Prokhorov, dono de US$ 18 bilhões, diz que pretende conquistar o apoio da classe média russa

MOSCOU - O bilionário Mikhail Prokhorov afirmou nesta segunda-feira, 12, que concorrerá à presidência da Rússia contra o atual premiê Vladimir Putin, em março. Prokhorov, de 46 anos, cuja fortuna é estimada em US$ 18 bilhões pela revista Forbes, é dono do time americano de basquete New Jersey Nets, diretor da Polyus Gold, uma das maiores mineradoras do país, e presidente do grupo de investimentos Onexim.

Prokhorov disse que espera conquistar o apoio da classe média russa, que era maioria esmagadora nas manifestações contra o governo na semana passada. No entanto, ele afirmou que concorda com apenas algumas das críticas a Putin e não garantiu presença nos protestos que ocorrerão em Moscou até o fim do mês.

"Tomei uma decisão, provavelmente a mais difícil da minha vida: serei candidato na eleição presidencial", disse Prokhorov em entrevista coletiva. Ele não aparecia em público desde setembro, quando deixou a chefia do partido Causa Justa, que acusa de ceder às pressões do Kremlin.

"Vocês se lembram, o Kremlin me retirou do Causa Justa e não fui autorizado a fazer o que queria. Não é da minha natureza interromper uma coisa no meio caminho. Por isso, trabalhei nos últimos dois últimos meses silenciosamente e criei toda a infraestrutura para recolher 2 milhões de assinaturas", disse o bilionário, em referência ao número necessário para entrar na cédula eleitoral como candidato independente.

Também na segunda, Alexei Kudrin, ex-ministro das Finanças, declarou que formará um novo partido político que defenderá ideias liberais. Kudrin, assim como Prokhorov, foi excluído da camarilha de Putin, após discordar publicamente da decisão do premiê de concorrer à sucessão do presidente Dmitri Medvedev.

Kudrin, de 51 anos, disse que a eleição parlamentar da semana passada, que reduziu drasticamente a maioria do partido do governo, o Rússia Unida, mostrou a necessidade urgente de uma "alternativa liberal" no país. "Hoje, a demanda é tanta que ele (um partido liberal) será criado", disse Kudrin, sem entrar em detalhes a respeito de quem seria o líder da nova legenda. "Esse partido terá pessoas experientes e empresários. O cenário político sofrerá uma mudança."

Independente

Prokhorov não é o primeiro magnata russo a ter ambições políticas. Mikhail Khodorkovski, que já foi o homem mais rico da Rússia, está preso desde 2003 por evasão de divisas e crimes de peculato. Para muitos opositores, as denúncias apareceram após ele ter desafiado publicamente o poder de Putin.

De acordo com vários analistas, no entanto, o premiê ainda é o favorito para vencer a eleição presidencial de março, apesar dos crescentes sinais de descontentamento popular com sua hegemonia política.

O auge da insatisfação ocorreu no sábado, quando cerca de 40 mil pessoas saíram às ruas da capital no maior protesto visto no país desde os anos 90. Os principais alvos dos manifestantes são as fraudes nas eleições da semana passada, o partido Rússia Unida e o próprio Putin.

Com informações da Associated Press, Reuters e New York Times

Nenhum comentário: