segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Com aumento dos preços, EUA têm maior 'índice de miséria' em 28 anos

DE SÃO PAULO

O aumento não só dos preços, mas também do desemprego fez os EUA resgatarem o "índice de miséria", termo que tinha caído em desuso nos últimos 20 anos.
O índice é bastante simples (a soma da taxa de inflação com a de desemprego) e atingiu no mês passado o maior patamar desde 1983.
Ainda que a inflação tenha dado grande contribuição para ele chegar a 13 pontos (estava em 9 pontos no fim de 2007, antes de a crise começar), o grande vilão da alta é o mercado de trabalho.
A taxa de desemprego nos EUA ficou em 9,1% em setembro e não dá sinais de ceder, o que promete ser um dos grandes empecilhos para a reeleição do presidente Barack Obama no ano que vem.
O "índice de miséria" médio do governo Obama é similar ao de George Bush (1989-92), o último presidente a não conseguir reeleição.

Nenhum comentário: