terça-feira, 19 de julho de 2011

Estudantes correm por 1.800 horas em volta de palácio

FOCO


Juan Farias-13.jul.2011/La Tercera
Participante de maratona corre com a bandeira chilena em volta da sede do governo

DO ENVIADO A SANTIAGO

Desde o dia 13 de junho, o quarteirão do Palácio La Moneda, a bonita sede do governo chileno no centro de Santiago, se tornou o circuito de uma maratona de 1.800 horas organizada pelos estudantes chilenos.
Batizado de "1.800 horas pela educação", a manifestação já ganhou a adesão de maratonistas profissionais, crianças, idosos e até mesmo de turistas.
A maratona, que não foi interrompida em nenhum momento até agora, só deve terminar no dia 27 de agosto.
O número refere-se à estimativa feita por economistas do quanto custaria a completa estatização das universidade públicas do Chile -US$ 1,8 bilhão por ano, ou "US$ 1.800 millones", em espanhol.
Por isso, o número tornou-se símbolo das manifestações dos estudantes chilenos.
Qualquer um pode participar da corrida, desde que respeite o circuito do quarteirão do La Moneda e leve junto alguma bandeira -qualquer tipo vale.
Até agora o recorde de voltas registrado foi do jovem Nicolas Aliaga, um estudante de teatro que fez o trajeto, sem parar, durante seis horas e 20 minutos.
Para apoiar os corredores/manifestantes, os estudantes armaram um acampamento na borda da praça Constituición, em frente à entrada principal do La Moneda.
No local, há água, comida, café, tênis e até mesmo um aparelho de TV.
Por ordem da Presidência do Chile, a polícia fechou a praça. Os carabineros (policiais) vigiam o local 24 horas por dia.
Os manifestantes já criaram outros movimentos "1.800", como o "1.800 km pela educação", que é um passeio de bibicleta por várias cidades chilenas, e o "1.800 doadores pela educação", que começou a funcionar ontem.
"O objetivo é juntar 1.800 doadores de sangue para o hemocentro de Santiago, cujo estoque está no vermelho", explica a organizadora Camila Veras. (LUCAS FERRAZ)

Nenhum comentário: