sexta-feira, 10 de junho de 2011

EUA têm mais imigrantes qualificados

Estudo com base em números do Censo mostra que 30% deles possuem curso superior, contra 19% em 1980

Dado pode influenciar debate sobre reforma migratória; oposição diz que imigrantes roubam empregos mal pagos


ANDREA MURTA
DE WASHINGTON

Um estudo do Instituto Brookings divulgado ontem mostra que o número de imigrantes com alta qualificação já ultrapassou o de imigrantes pouco qualificados nos EUA, uma mudança estrutural que deverá impactar o debate sobre reforma migratória no país.
A análise, com base no Censo dos EUA, mostra que 30% dos imigrantes nas cem maiores áreas metropolitanas do país têm ao menos diploma de curso superior, contra 28% dos que não completaram o ensino médio.
Em 1980, 19% dos imigrantes entre 25 e 64 anos tinham diploma superior, enquanto 40% não tinham ensino médio.
Os com alguma qualificação, que completaram o segundo grau mas não terminaram a faculdade, se mantiveram razoavelmente estáveis em pouco mais de 40%.
A tendência é indicativa da mudança na economia dos EUA nesse período. O país passou de movido a manufaturas para ter o crescimento puxado por tecnologia e informação.

DIFERENÇAS
O estudo dá mais munição aos que pressionam o governo por uma reforma migratória. Boa parte da oposição concentra os ataques na percepção de que os trabalhadores estrangeiros são pouco qualificados e "roubam" empregos mal remunerados de americanos.
O presidente Barack Obama prometera realizar uma reforma que criasse um caminho para regularização de ilegais ainda em seu primeiro ano de governo, mas as tentativas não avançaram no Congresso até agora.
Hoje, 1 em cada 6 trabalhadores dos EUA nasceram fora do país. Comparados com cidadãos americanos com educação similar, imigrantes não qualificados têm taxas menores de desemprego, mas ganham menos.
Ao mesmo tempo, cerca de metade dos imigrantes com curso superior nos EUA trabalham em empregos para os quais são considerados qualificados demais.
"Entender como as habilidades dos imigrantes influenciam o sucesso de economias locais é essencial para criar políticas mais eficazes e estratégias econômicas", disse Audrey Singer, coautora do levantamento.
"Estamos em meio a uma transformação demográfica histórica, que ocorre primeiramente nas regiões metropolitanas, e isso afeta a composição de nossa mão de obra", afirmou.
O Brookings sugere criar uma comissão governamental para elaborar políticas que ajudem imigrantes.
Nem todos concordam.
"Parece que temos uma super oferta de trabalhadores altamente qualificados chegando nos EUA", disse ao "Washington Post" Steven Camarota, do Centro para Estudos de Imigração.
"Nossos formandos com diploma superior estão se saindo mal no mercado de trabalho, e esse estudo mostra que estamos trazendo um alto número de trabalhadores para competir com eles."
Há porém um dilema, já levantado por Obama: muitos estudantes adquirem conhecimentos vitais para o empreendedorismo fazendo pós-graduação em universidades americanas e depois levam essas vantagens para criar empresas que competem com os EUA em outros países.

Nenhum comentário: