domingo, 5 de junho de 2011

EUA dizem que reagirão a ataques cibernéticos

Secretário de Defesa quer regras globais
DAS AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS

O secretário de Defesa americano, Robert Gates, voltou ontem a ameaçar usar força contra perpetradores de ataques cibernéticos, que para ele equivalem a "atos de guerra".
"Nós consideramos ataques cibernéticos coisas muito sérias e vemos que eles têm uma variedade de origens, não apenas um país ou outro", afirmou, durante discurso em Cingapura.
Ele pediu o estabelecimento de regras internacionais "o quanto antes".
"Um ato de guerra cibernética pode requerer algum tipo de resposta", disse.
Na semana passada, o Google afirmou ter evitado uma tentativa de roubos de senhas de emails.
Aparentemente, a origem da investida seria a China, embora o governo do país não tenha sido responsabilizado diretamente.
Houve recentemente ataques a outras empresas, como Lockheed Martin (aeronáutica) e Sony (eletrônicos).
O Departamento de Estado pediu aos chineses que investigassem o tema.
A China anteontem reagiu, acusando os EUA de lançarem uma "guerra global na internet".
Os EUA recentemente mudaram sua doutrina militar para incluir ataques cibernéticos como possíveis atos de agressão.
Folha de São Paulo, 05/06/2011

Nenhum comentário: