segunda-feira, 16 de maio de 2011

Para Delfim Netto, Brasil passa por novo "processo civilizatório"

Economista diz que inflação vem de "desarranjo" na área do trabalho

DE SÃO PAULO

O economista e ex-ministro da Fazenda e Planejamento Antonio Delfim Netto diz que o atual surto inflacionário no país é consequência de uma combinação de "desarranjo" e "estresse" no mercado de trabalho.
Nos últimos meses, o desemprego no Brasil vem batendo recordes de baixa, estimulando trabalhadores a pedir reajustes maiores.
"A inflação atual é mundial. E há seguramente alguma pressão interna, principalmente por conta de um estresse no mercado de trabalho. Há um desarranjo interno entre oferta e procura de trabalho", afirma.
Delfim Netto declara que o Brasil está passando por "um processo civilizatório".
Nessa transformação, as pessoas estariam melhorando seus padrões de vida, ao mesmo tempo em que há uma mudança nos padrões de consumo.

LULA
"Colocar a distribuição de renda como fator de desenvolvimento, sacrificando até o crescimento, foi intuição de um cidadão chamado Luiz Inácio Lula da Silva", diz.
"É um processo que os economistas detestam, pois eles têm a pretensão de querer saber mais do que o próprio consumidor" -diz ele sobre a maneira que os consumidores se comportam.
Delfim diz não acreditar que o volume de crédito concedido à população seja um risco hoje, mas acha que não haverá crescimento em 2011 no mesmo ritmo acelerado dos últimos anos.
Veja a íntegra da entrevista com Delfim Netto no site da TV Folha (folha.com/tv).

Nenhum comentário: