terça-feira, 24 de maio de 2011

Brics em campanha

Toda Mídia

NELSON DE SÁ -
nelsonsa@uol.com.br

Brics em campanha

No "China Daily", com foto da última cúpula dos Brics, "Ainda sem acordo sobre novo chefe do FMI". Destaca que "o insucesso dos emergentes em apoiar um só candidato mostra o esforço ainda necessário para unir a força diplomática à econômica". Da Índia, a Reuters deu que o país busca consenso nos Brics e quer nome emergente, ainda que para perder.
Por Folha.com, "Wall Street Journal" e agências, Guido Mantega sugeriu um diretor provisório, para dar "tempo para amadurecer e conhecer melhor os candidatos". Ele se negou a apoiar o nome mexicano. Segundo o "Valor", os Brics tinham reunião marcada, ontem em Washington -e "um nome forte da Índia ganha força em Brasília, Montek Singh Ahluwalia".

Trevor Manuel No "Financial Times", "Controle da Europa sobre FMI é questionado" por Trevor Manuel, o sul-africano cotado para dirigir o Fundo. E o "WSJ" fez um perfil, "Manuel, da África do Sul: um crítico do FMI é agora forte candidato".

Montek Ahluwalia O "WSJ" também perfilou o indiano, "E se Montek for o novo chefe do FMI?". Diz que é "severo e erudito, vem do mundo em desenvolvimento, mas encara qualquer um em sagacidade [wit], no melhor sotaque de Oxford".


ft.com
DILMA & HU Em mais um caderno sobre Brasil, com anúncios de CME Group, Itaú e Santander e seis páginas, o "FT" mostra Brasil e China num "abraço cada vez mais próximo", apesar de ser "relação de opostos". O colunista Martin Wolf escreve sobre "desafios" para o Brasil, como o "risco para a indústria"


ft.com
MAIS FICHAS Sob o enunciado "Negociação brasileira para o Carrefour", o francês "Journal du Dimanche" deu que o grupo estuda fusão com o Pão de Açúcar no Brasil. Ecoou e . E o "FT" postou em longa análise, com a imagem à esq., que para o Carrefour "faz sentido" investir mais no país

//EUA PROTEGEM
Os EUA abriram investigação sobre a competitividade das exportações agrícolas brasileiras e seu impacto sobre as americanas, segundo sites de Washington, mas o "Brasil minimiza", diz o "Valor".
Pedida pelos senadores Max Baucus, de Montana, e Orrin Hatch, de Utah, mira soja e carnes -e as "multinacionais brasileiras" JBS e Marfrig no país.

//O FIM DO GOLPE?
Na americana Associated Press, "Líder deposto de Honduras e sucessor assinam acordo". O presidente Porfírio Lobo e o ex Manuel Zelaya aceitaram o "acordo trabalhado pelos presidentes Hugo Chávez, da Venezuela, e Juan Manuel Santos, da Colômbia".
Na manchete on-line do colombiano "El Tiempo", "EUA felicitam Colômbia e Venezuela pela mediação", sobre mensagem da secretária Hillary Clinton.
"El Heraldo" e outros hondurenhos, que apoiaram o golpe, esconderam o ex-presidente e destacaram que o "acordo facilita volta de Honduras à OEA".

Salvador Allende Na manchete on-line do chileno "La Tercera", mas não do "El Mercurio", foi exumado o corpo de Salvador Allende, presidente deposto em golpe militar apoiado pelos EUA em 1973. No "New York Times", "Família de Allende tem esperança que exumação encerre o mistério" de sua morte, divulgada na ditadura como suicídio.

Jacobo Arbenz No mesmo "NYT", que dias atrás deu que o Departamento de Estado iniciava esforço de se reaproximar da América Latina, "Guatemala restabelecerá legado de líder que EUA ajudaram a depor". Jacobo Arbens sofreu "golpe apoiado pela CIA em 1954" e será resgatado por Álvaro Colom, "o primeiro presidente de esquerda desde Arbens".

//FUKUYAMA E A ESPERANÇA
Autor de "O Fim da História", duas décadas atrás, Francis Fukuyama falou ao "Guardian" para lançar "As Origens da Ordem Política", sobre como surgem as democracias liberais ou como um país "vira Dinamarca". Pessimista com Oriente Médio e até Europa, vê "razão para esperança" em "sul-americanos como Lula, que cederam poder quando podiam manter, com remendo", e também no "fim da hegemonia dos EUA".

Leia mais, pela manhã, em www.todamidia.folha.blog.uol.com.br

Nenhum comentário: