segunda-feira, 30 de maio de 2011

Ataque da Otan mata 14 civis afegãos

Investida contra o Taleban atinge acidentalmente 12 crianças e duas mulheres em casas em Helmand, no sul do país

Em advertência aos EUA, presidente afegão, Hamid Karzai, diz que "gente inocente está morrendo" todos os dias


Efe
Familiares levam crianças mortas até governador

DAS AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

Um ataque de tropas da Otan (aliança militar ocidental) no sul do Afeganistão anteontem matou acidentalmente 14 civis, entre eles 12 crianças e duas mulheres.
O presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, fez dura condenação. "Esse é o último aviso para as forças da Otan e os americanos", afirmou.
Ele disse que "essas operações arbitrárias e desnecessárias estão matando gente inocente todos os dias". Morreram cinco meninas, sete meninos e duas mulheres.
Os civis estavam em duas casas no distrito de Nawzad, que foram alvo de um ataque aéreo da Otan. Foi uma retaliação a um ataque do Taleban horas antes contra uma base de fuzileiros dos EUA na província de Helmand.
"A minha casa foi bombardeada no meio da noite e meus filhos foram mortos; o Taleban está longe daqui. Por que atacaram minha casa?" disse um dos familiares, Noor Agha, à Reuters.
Parentes recolheram os corpos de várias crianças e os embrulharam em lençóis ensanguentados, enfileirando-os em seguida no chão. De lá, eles os levaram para a capital de Helmand, Lashkar Gah.
Familiares levaram seus filhos mortos, alguns de dois anos de idade, até a mansão do governador da província, gritando: "Veja, eles não são do Taleban".
As mortes por engano de civis afegãos pelas tropas da Otan, normalmente em ataques aéreos ou noturnos, são uma enorme fonte de tensão entre o governo de Karzai e os Estados Unidos.
Karzai já pediu que a Otan restrinja esses ataques com aeronaves não tripuladas, principalmente à noite, porque causam muitas baixas entre civis. Também dificultam o apoio do povo afegão à guerra empreendida pelos EUA, tornando o conflito cada vez mais impopular.
Há poucos dias, milhares de pessoas tomaram as ruas e protestaram contra ataques aéreos da Otan que haviam matado quatro civis.
O presidente Karzai determinou que ataques noturnos ou operações mais sensíveis sejam conduzidos exclusivamente por tropas afegãs.

RETIRADA
Segundo acordo firmado com a Otan, as forças estrangeiras começam a transferir o poder para os soldados afegãos no próximo mês de julho, com a meta de retirada total das tropas de combate da Otan até o fim de 2014.
Atualmente, há 130 mil soldados estrangeiros no país. Os EUA invadiram o Afeganistão após os atentados de 11 de setembro de 2001, em busca do terrorista Osama bin Laden, que era abrigado pelo Taleban.
Folha de São Paulo, 30/05/2011

Nenhum comentário: