segunda-feira, 25 de abril de 2011

Cidade brasileira registra um número recorde de gêmeos


Por ALEXEI BARRIONUEVO e MYRNA DOMIT


SANTIAGO, Chile - Tantos gêmeos vêm nascendo há anos na cidadezinha de Cândido Godói, no sul do Brasil, que os moradores se indagam se haverá algo de misterioso na água ou até mesmo se Josef Mengele, o médico nazista conhecido como o Anjo da Morte, teria feito experimentos na região.
Agora, porém, um grupo de cientistas diz que uma série de exames de DNA feitos com cerca de 30 famílias constatou que um gene específico presente na população de Cândido Godói aparece com mais frequência nas mães de gêmeos que nas mulheres que não os têm. O fenômeno é intensificado pelo alto grau de casamentos consanguíneos entre a população da cidade, composta de descendentes de imigrantes que falam alemão.
"Analisamos seis genes e encontramos um gene que confirma a predisposição ao nascimento de gêmeos nesta população", disse a geneticista Ursula Matte. Matte foi a primeira a documentar o fato de que o índice de nascimentos de gêmeos em Cândido Godói é excepcionalmente alto. Ele é especialmente alto em São Pedro, povoado de cerca de 350 moradores que faz parte de Cândido Godói. Matte constatou que, entre 1990 e 1994, 10% dos partos em São Pedro foram de gêmeos, contra menos de 1% no Brasil como um todo.
A concentração de gêmeos na cidade levou ao surgimento de teorias. Residentes dizem que Mengele percorreu o sul do Brasil na década de 1960, fazendo-se passar por veterinário, quando se acreditava que nascimentos de gêmeos tivessem começado a aumentar.
Mengele, que morreu no Brasil em 1979, foi notório por seus experimentos -muitos deles fatais- com gêmeos em Auschwitz, ostensivamente em um esforço para produzir raça mestre ariana.
Mas o estudo comandado por Matte analisou 6.615 certidões de batismo que datam de até 80 anos atrás e constatou que o fenômeno dos gêmeos já estava presente na década de 1930, "muito antes de Mengele", disse a pesquisadora.
A equipe de Matte também analisou a fonte de água da cidade -os moradores acreditam que um mineral misterioso possa ser responsável pela alta incidência de gêmeos- e não constatou nenhuma anormalidade. Daniela Junzvier, coordenadora cultural da Prefeitura de Cândido Godói, disse que a prefeitura apoiou. "Eles têm grandes esperanças de descobrir porque têm tantos gêmeos e entender melhor o que está por trás de sua história".
Os cientistas confirmaram que a maior concentração de gêmeos tem ocorrido em São Pedro, com 33 pares de gêmeos nascidos em 436 nascimentos entre 1959 e 2008, todos vivendo em uma área de 2,4 quilômetros quadrados. Em São Pedro, a equipe analisou os sobrenomes e conduziu exames. "Com uma população pequena de cerca de 80 famílias, foi um desafio encontrar mulheres que não tivessem gêmeos em grau de parentesco de primeiro grau", disse Matte.
Os cientistas acreditam que o pequeno número de famílias imigrantes que vive em São Pedro pode ter trazido o gene variante para a região.


ALEXEI BARRIONUEVO em Santiago, no Chile, e MYRNA DOMIT em São Paulo

Nenhum comentário: